terça-feira, 19 de junho de 2012

sobre-humano.



o desespero. o humano. o corpo estilhaçando desespero por rua abaixo. tem algo de épico nisso. não só no arranjo. mas no desesperadamente humano também.


Um comentário:

  1. taí a prova de que magrela e branquela também dá conta.

    ResponderExcluir